As dicas nunca são demais — especialmente aquelas que o ajudam a ser melhor.

1. Faça amizade com vários tipos de pessoas. Não reduza a sua visão do mundo a dar-se apenas com pessoas que são fundamentalmente iguais a si.

2. Leia. Faz ideia de quantas pessoas leem mais do que algumas linhas de um artigo publicado por aí? Poucas. Sabe porque é que isso é importante? Porque um livro que leia durante uns dias esta semana pode mudar a forma como pensa sobre determinado assunto durante as próximas décadas.

3. Questione-se sobre tudo e preze a sua dúvida. As pessoas que não se sentem seguras o suficiente para fazer isto estagnam.

4. Esteja disposto a viver de uma maneira que as outras pessoas não estão, para que possa viver de uma forma que as outras pessoas não conseguem.

5. Aprenda a cozinhar as coisas de que gosta – em vez de as encomendar.

6. Aprenda a fazer um orçamento (para os seus fundos) de uma forma que o faça sentir-se responsável e livre, não restringido.

7. Ponha de parte algum dinheiro todos os meses, mesmo que não precise.

8. Arranje um trabalho extra só para essa conta poupança. Vai ser exaustivo durante uns tempos, mas vai ganhar novas competências e paz de espírito com a ideia de ter umas poupanças.

9. Vicie-se em dor saudável. Aquele tipo de dor que vem do treino da mente para se concentrar numa tarefa até esta estar concluída. Quanto mais canalizar a sua dor para algo construtivo, menos tentado se sentirá em ficar a pensar.

10. Sinta-se mais confortável ao admitir que estava errado. Não há problema em cometer erros. O problema está em cometer erros e ser-se demasiado orgulhoso para os emendar.

11. Arrume o seu espaço e comece a treinar a atitude do “basta”. Quer mesmo passar os próximos 10 anos a acumular coisas? Claro que não. Pense nas coisas em que podia ter aplicado todo esse dinheiro, tempo e preocupações.

12. Utilize o cartão de crédito apenas para coisas que será capaz de relembrar daqui a 3 meses. Se olhar para a quantia devida e não se conseguir lembrar onde é que a gastou, então é porque não era nada de importante.

13. Faça exames de consciência. Faça listas de coisas de que gosta e de que não gosta; o que valoriza e o que não valoriza; em que é bom e em que não é. Comece a criar uma ideia coerente sobre quem é, fundamentalmente – permitindo-se, no entanto, abrir ao facto de essa ideia poder mudar ao longo do tempo.

14. Faça uma reflexão sobre a sua vida e pergunte-se qual a sua razão (de viver) mais evidente. Construa a narrativa sobre essa razão com cuidado – a forma como justificar ações passadas irá tornar-se na sua filosofia para ações futuras.

15. Se não se comprometer com mais nada vai comprometer-se com uma rotina diária que consiste em ações – que, com o tempo, irão levá-lo a onde quer chegar.

16. Faça as coisas com intenção. Namore com intenção. Trabalhe com intenção. Não deixe que a sua vida seja uma série de ações irracionais e aleatórias que numa determinada altura pareciam boas, mas que afinal não fazem sentido.

17. Leve-se tão a sério como quer que o mundo o leve. Comporte-se conforme quer ser tratado.

18. Esqueça tudo e recomece as vezes que forem necessárias. Não há vergonha nenhuma em não acertar – existe, contudo, muita autoaversão que vem de saber o que é melhor, mas não ter a coragem para fazer melhor.

07.08.2017
Fonte: http://insider.pro